sábado, 25 de novembro de 2017

A 1ª República


1 Bombardeamento do Palácio Real pelos republicanos.
2 Fuga do rei D. Manuel II para Inglaterra.
3 Prisão dos padres jesuítas pelos republicanos.
4 Barricadas republicanas na Rotunda.
5 Desembarque da marinha no Terreiro do Paço.
6 Proclamação da República na Câmara Municipal.
7 Visita do Governo Provisório aos revolucionários acampados na Rotunda.

Em 5 de Outubro de 1910, um movimento militar (chefiado por Machado Santos), com um forte apoio popular, implantou a República em Portugal.
O rei D. Manuel II foi afastado, embarcando com a família para o exílio em Inglaterra.
O governo provisório foi presidido por Teófilo Braga até à eleição do governo definitivo.
A Constituição de 1911 instituiu uma República Democrática Parlamentar: consagrou a divisão tripartida dos poderes, a soberania da nação e o regime parlamentar.
Manuel de Arriaga foi o primeiro Presidente da República Constitucional, eleito.
As ideias republicanas defendiam:
a)     O desenvolvimento económico do país
b)    A educação do povo
c)     A defesa das colónias
d)    A diminuição da influência da Igreja Católica no Estado.
Os primeiros governos republicanos tomaram importantes medidas de carácter anticlerical, financeiro, social e no domínio da educação.
Foram fixadas por decreto, a forma e as cores da nova bandeira nacional: verde e vermelho com as armas nacionais inscritas na esfera armilar.
 A moeda e o hino também mudaram: o real foi substituído pelo escudo e o hino da Carta Constitucional pela canção patriótica “A Portuguesa” (música de Alfredo Keil e letra de Henrique Lopes de Mendonça, em 1890(como reacção ao Ultimato Inglês).




Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.